Vitória / ES - segunda-feira, 16 de outubro de 2017

A Obesidade

A Obesidade l IMC l Tramento da obesidade l Tipos de Cirurgia Bariátrica l Dieta l Complicações da Cirurgia  l Reuniões l Orientações l Perguntas e Respostas l Dicionário Bariátrico



Se você é obeso e quer mudar esta realidade

A obesidade é uma doença que afeta indivíduos de forma física, psíquica e social, podendo ser causada por múltiplos fatores como doenças endocrinológicas e psiquiátricas, genética, ausência ou diminuição da atividade física, comportamento alimentar inadequado, além dos fatores emocionais. As condições médicas que podem levar à obesidade são responsáveis por menos de 2% dos casos de obesidade.

 Noventa e cinco por cento das pessoas tornam-se obesas por dois motivos: ou porque comem exageradamente e/ou porque gastam poucas calorias, mesmo que algumas insistam em dizer que não comem quase nada.
 A prevalência da obesidade está aumentando em todo o mundo, tanto nos países desenvolvidos como naqueles em desenvolvimento. Estamos assistindo a chamada “transição nutricional”, que consiste na redução dos índices de desnutrição e aumento da obesidade. As condições associadas à obesidade, como doenças cardiovasculares, diabetes, dislipidemia, hipertensão, alguns tipos de tumores como o câncer de cólon, reto e próstata em homens obesos e de câncer de mama, vesícula e endométrio em mulheres obesas, também estão aumentando. A obesidade ainda predispõe a doenças como colelitíase (“pedras na vesícula”), osteoartrite, osteoartrose, esteatose hepática, apnéia obstrutiva do sono, alterações dos ciclos menstruais e redução da fertilidade.
 Todas estas situações podem ser melhoradas com o emagrecimento. Uma redução de 5% a 10% no seu peso corpóreo é uma medida efetiva ao combate das condições mórbidas que aumentam o risco cardiovascular. Basta você decidir se quer ou não mudar os seus hábitos.
   

Como saber se você é obeso?

 

O índice de massa corporal, também conhecido como IMC, é a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Ele é calculado dividindo o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. A partir do resultado deste cálculo, basta olhar a tabela abaixo e saber a zona de risco em que você se encontra.

 

Legenda recomendada pela Organização Mundial de Saúde 

IMC (Kg / M2)

Definição 

Risco de Comorbidade 

< 18.5  Baixo peso   
18.6 a 24.9  Normal   
25 a 29  Pré-obeso  Aumentado 
30 a 34.9  Obesidade Classe 1  Moderado 
35 a 39.9  Obesidade Classe 2 Grave 
> 40  Obesidade Classe 3 Muito Grave 
     

A forma como a gordura se distribui em seu corpo também contribui como fator de risco para doenças. Para classificar a distribuição do tecido adiposo no seu organismo, é usada a medida da relação cintura-quadril-C/Q (waist-hip ratio ou W/H), que consiste na relação entre a menor circunferência entre o gradil costal e a cicatriz umbilical e a maior circunferência da extensão posterior da região glútea. Quanto maior a W/H, maior a correlação com isquemia coronariana, diabetes melito, hipertensão arterial e dislipidemias.

 

C/Q menor que:

C/Q maior que: 

0,9 para homens

 0,9 para homens 

0,8 para mulheres

 0,8 para mulheres 

Obesidade Ginóide

 Obesidade Andróide 

 

 

 

 

Existem diferentes tipos de obesidade?

  

A distribuição da gordura é variável de pessoa para pessoa. Essa variação da gordura altera o risco de doenças associado ao excesso de peso. Existem dois tipos básicos de distribuição de gordura. A gordura concentrada na região subcutânea (abaixo da pele), particularmente da cintura para baixo, (é chamada de obesidade ginóide ou em forma de pêra e acomete mais as mulheres). Quando a gordura concentra-se no abdome, profundamente entre as vísceras, é chamado de obesidade andróide, em forma de maçã ou obesidade visceral e acomete mais os homens.O tipo andróide é o que mais se relaciona com o maior risco cardiovascular.

 

data de atualização 20/05/2015

 

Dicas para uma alimentação saudável