Vitória / ES - segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Perguntas e Respostas

A Obesidade l IMC l Tramento da obesidade l Tipos de Cirurgia Bariátrica l Dieta l Complicações da Cirurgia  l Reuniões l Orientações l Perguntas e Respostas l Dicionário Bariátrico

 


 

Perguntas e Respostas

 

1. O que é Obesidade Mórbida?

Obeso mórbido é aquele que apresenta índice de massa corpórea (IMC) igual ou maior que 40 quilos por metro quadrado de área do corpo. O excesso de peso traz efeitos negativos para a saúde como: diabetes, hipertensão arterial (pressão alta), arteriosclerose, ataques do coração, derrames cerebrais, artrites, varizes, flebites, doenças pulmonares, infertilidade, feridas nas pernas por má circulação, doenças de pele; além de problemas de ordem social. Esses efeitos acabam por dificultar e encurtar a vida dos obesos mórbidos.

 

2. Estou qualificado para a Cirurgia?

Com algumas exceções, são candidatos a cirurgia:

1.       Tentativas de redução de peso com orientação médica sem sucesso.

2.       Ausência de doenças graves, com riscos inaceitáveis para cirurgia.

3.       Estar com índice de massa corpórea de 40 Kg/m² ou mais.

4.       Ter passado por avaliação psicológica.

5.       * Pessoas com IMC menor de 40 Kg/m², poderão ser submetidos a cirurgia em casos especiais. 

 

 

 

3. O que é Índice de Massa Corpórea (IMC) ?

É o quanto uma pessoa pesa por metro quadrado de área do corpo.                                                Peso       
                                    IMC =__________________
                                                   Altura x Altura

Um paciente, por exemplo, com peso de  136 Kg e altura de 1,60m terá o seguinte índice de massa corpórea: IMC =  136 ¸ (1,6 x 1,6) =  53,12 kg/m²

 

 

 

4. Como a Cirurgia de Capella ajuda a perder peso?

A cirurgia cria uma sensação de “estômago cheio” e satisfação, devido a ser “criado” um estômago muito pequeno (cerca de 20ml de capacidade). Ingerindo -se uma pequena porção de alimento há a sensação de se ter comido uma grande quantidade. O “estômago pequeno” mantém a inervação, levando ao cérebro, a informação de saciedade. Além disto desvia-se o alimento de uma pequena parte do intestino fino, fazendo com que haja um pouco de má absorção, que também ajuda na perda de peso. Após a cirurgia pode-se comer de tudo em pequenas quantidades, porém, uma “mordida” além do necessário causa náuseas e vômitos. A perda de peso em 1 ano varia de 30 a 40 % do peso inicial.

 

 

 

5. Como a Cirurgia de Scopinaro ajuda a perder peso?

Nesta cirurgia o estomago é reduzido em cerca de 50%, mas é realizado um “curto-circuito” no intestino, que reduz muito a absorção dos alimentos. Portanto, pode-se comer bem mais que na técnica de Capella, mas há uma tendência a diarréia e grande produção de gazes, ambas com odor geralmente fétidos. A perda de peso em 1 ano é semelhante a técnica de Capella.

 

 

 

6. E a banda do estômago?

Uma das técnicas também usadas é a que chamamos banda gástrica (como uma cinta envolvendo o estômago), que “divide” o estômago em duas partes, sendo que a parte superior é muito pequena, dando a sensação de “estômago cheio” com pouca comida. Neste tipo de cirurgia, a perda de peso fica entre 18 e 28 %; estando indicada a pacientes selecionados, que não estejam com o índice de massa corpórea muito elevado e não necessitem de uma perda de peso grande.

 

 

 

7. E o balão do estômago?

O balão que é colocado dentro do estômago não por cirurgia, mas por endoscopia. Não é um tratamento definitivo da obesidade. O tempo que você poderá permanecer com o balão é limitado, devendo ser retirado após  4 a 6 meses. Somente colocar-se p balão, não faz com que o paciente perca peso, sendo necessário acompanhamento clínico e dieta.

 

 

 

8. Quais os riscos da Cirurgia da Obesidade?

O risco é o mesmo de qualquer outra cirurgia de grande porte ( < 0,5 % ), mas existe e deve ser considerado, principalmente porque o obeso, normalmente, já possui alterações respiratórias, circulatórias e cardíacas. Deiscência (abertura) dos grampos ou das anastomoses (emendas) pode ocorrer, mas é pouco comum; podendo levar o paciente a uma nova cirurgia. Embolia pulmonar (sangue coagulado nos pulmões) e morte podem ocorrer, como em qualquer outra cirurgia.

 

 

 

10. Tenho pedras na vesícula, posso operar?

Se você tem pedras na vesícula, ela poderá ser retirada durante a cirurgia para tratamento da obesidade.

 

 

 

11. Tenho hérnia de hiato, posso operar?

 A cirurgia para tratamento da obesidade corrige a hérnia de hiato.

 

 

 

12.Tenho diabete, colesterol aumentado e pressão alta, posso operar?

Se você estiver controlando com seu médico cardiologista, poderá operar.

 

 

 

13. Existe idade mínima ou máxima para operar?

Desde que haja indicação cirúrgica, seja feita uma boa avaliação clinica, pode-se realizar a cirurgia em adolescentes e idosos.

 

14. Vou operar, há algum preparo na véspera?

Deverá fazer jejum a partir das 22h do dia anterior, inclusive de água

 

 

 

15. Quantas horas demoram a cirurgia?

Cerca de 1 a 3 horas.

 

 

 

16. Na sala de cirurgia.

Quando estiver na sala de cirurgia, as primeiras pessoas que você verá, serão os anestesistas, os assistentes da equipe e a instrumentadora. Será colocado um soro na sua veia, alguns adesivos na região do tórax (para o monitor de batimentos do coração), um dedal em um dedo de sua mão (para medir o oxigênio). Suas pernas serão enfaixadas, para diminuir o risco de formação de coágulos.

 

 

 

17. E se eu acordar com tubo de respiração ainda na garganta?

Acordar após a cirurgia e ainda estar com o tubo do respirador na garganta (entubado), pode às vezes acontecer, e não é sinal de nenhuma complicação; significa apenas que você demorou um pouco mais para acordar da anestesia. Se isto acontecer, procure não respirar, fique relaxado, pois o respirador vai encher e esvaziar seus pulmões; e logo esse tubo vai ser retirado.

 

 

 

18. Logo após a cirurgia.

Quando termina a cirurgia, o paciente é levado à sala de recuperação pós-anestésica, ficando lá por cerca de quatro a 6 horas; até estar bem acordado, para então ser levado ao quarto. Alguns pacientes, por estarem muito acima do peso ou por ter algum problema clínico prévio, passam a primeira noite na UTI (unidade de terapia intensiva), mas apenas por excesso de zelo, não significando que houve qualquer problema. Chegando ao quarto, procure ficar deitado, podendo se levantar para urinar, com ajuda. Não poderá ingerir nada por boca. Estará com soro, para as medicações. É normal sentir um pouco de dor e náuseas, apesar de estar tomando medicações; estas sensações podem persistir com menor intensidade no dia seguinte.

 

 

 

19. O dia seguinte da cirurgia.

Ainda receberá soro, começará a tomar água, chá, água de coco (em pequenos goles) e gelatina, tomar banho de chuveiro, sentar fora da cama e andar. Deverá fazer fisioterapia respiratória e motora com o fisioterapeuta.

 

 

 

20. O segundo dia após a cirurgia.

Você se sentirá bem melhor e dependendo do seu quadro clínico receberá alta hospitalar.

 

 

 

21. Primeiro retorno - 10 a 15 dias.

Retornará ao cirurgião da equipe, podendo ser retirados alguns dos pontos.

 

 

 

 

22. Segundo retorno - 30 dias.

Será novamente avaliado pelo cirurgião onde serão dadas novas orientações.

 

 

 

23. Um mês só de líquidos!!!

Sua alimentação nos 30 primeiros dias após a cirurgia será apenas líquidos não calóricos; se quiser use adoçante. Ela será constituída de caldos coados e não batidos (legumes, carne magra, frango sem pele, peixe), temperados normalmente, e bebidas não calóricas (suco de frutas coado, iogurte natural desnatado e leite desnatado batido com frutas coados, refrescos diluídos, água de coco, gelatina dietética, bebidas isotônicas (Gatorade®, Marathon®, etc...).Tome pelo menos 1,5 litros de líquidos por dia, incluindo caldos salgados, isso fará com que sua urina fique clara, evitando assim a desidratação e a formação de “pedras” nos rins. É fundamental que você tome os líquidos em pequenos goles. Portanto, a cada 2 ou 3 minutos, enquanto estiver acordado tome 20 ml (1/2 xícara de café) de liquido.

 

Água (sem gás) e chás.  

 

Suco de frutas, coado.  

 

Caldos coados e não batidos (legumes, carne magra, frango sem pele, peixe), temperados normalmente.  

 

Água de coco ou gatorade® (até 300ml por dia).  

 

Gelatina dietética.  

 

Leite e yougurte natural, desnatados. (podem ser batidos com frutas e coados).   

 

Não posso comer nada nos 30 primeiros dias?

Não. Comer alimentos sólidos, ou sopas cremosas nos primeiros 30 dias poderá prejudicar a cicatrização do grampeamento do estômago, fazendo com que você corra o risco de nova cirurgia. Portanto não confie na sorte, ou em informações de terceiros.

 

 

 

 

24. E remédios?

Durante os primeiros 30 dias de cirurgia, tome 1 comprimido (triturado ou em solução ) de pantroprazol pela manhã. Se tiver dor, tome 45 gotas de novalgina® ou tylenol® ou lisador®.

 

 

 

 

25. E exercícios, quando posso fazer?

Não faça esforços físicos, como carregar pesos ou esforços abdominais, nos primeiros 90 dias após a cirurgia. No entanto você pode caminhar à vontade, e subir escadas devagar se necessário.

 

 

 

26. E dirigir, quando posso?

Você só poderá dirigir após 30 dias da cirurgia, para evitar esforços abdominais e acidentes que possam comprometer a cirurgia.

 

 

 

27. Está “vazando” um liquido amarelado no local da cirurgia!!!

Saída de liquido amarelo ou rosado claro pela incisão, às vezes ocorre, mas não significa necessariamente infecção ou problemas internos; é apenas liquido acumulado na gordura sob a pele.

 

 

 

28. Trinta dias de cirurgia. Comida finalmente!!!

Após um mês sua dieta será orientada gradativamente, evoluindo para alimentos sólidos. No início comece por alimentos bem cozidos e de fácil digestão: arroz, macarrão fino, legumes picados, pescada branca, carne macia bem moída; ovo mexido mole, torradas e frutas. Depois, sua dieta evoluirá para outros alimentos, até que você possa comer de tudo. Quando começar a ingestão de alimentos sólidos, deverá fazê-lo com cuidado, para não ingerir uma quantidade de alimentos maior do que a capacidade de seu “novo” estômago. No início coloque cerca de 4 colheres, das de sopa, de alimentos sólidos no prato, e coma com uma colher pequena (de chá), mastigando bem, para que não ingira uma quantidade além de sua capacidade, evitando assim a sensação de “estufamento”, náuseas e vômitos. Não tome líquido junto com os alimentos sólidos, tome-os antes ou 50 minutos após os sólidos. Alimentar-se com cuidado, pequenos bocados, bem mastigados e num tempo maior. Você terá que se adaptar ao novo estômago. Procure estar calmo e com tempo adequado para realizar uma refeição sem pressa. Não se esqueça: agora com o novo estômago pequeno, não se pode abrir mão da qualidade!

 

Posso comer doces e gorduras?

O uso de alimentos calóricos, doces (pudins, sundaes, milk shake, leite condensado, sorvetes etc.) e gorduras poderá lhe causar a chamada de “síndrome de dumping” (diarréia, tontura, suor frio, batimento acelerado do coração e queda da pressão arterial), além de prejudicar a perda de peso.

 

 

 

29. E bebidas alcoólicas e refrigerantes?

Nos primeiros seis meses você não deve tomar refrigerantes, que devido ao gás lhe causará sensação de mal estar e “estufamento”, além ocasionar náuseas e vômitos. As bebidas alcoólicas são absorvidas rapidamente devido à cirurgia, o que além de embebedá-lo mais depressa, prejudica muito mais ao fígado.

 

 

 

30. Posso fumar?

Não. O fumo além de reconhecidamente ser prejudicial a saúde, vai lhe trazer sérios transtornos no pós-operatório. A tosse devido ao cigarro causa dores, forçando o corte que não cicatrizará bem, favorecendo a formação de uma hérnia. Fumando, você terá mais chances de ficar gripado e até mesmo de adquirir uma pneumonia.

 

 

 

31. E quanto à relação sexual?

Após 30 dias da cirurgia, você poderá manter relações sexuais.

 

 

 

32. E as vitaminas?

O uso de complexos de vitaminas e minerais também será orientado, e será administrada a partir de 30, pós-cirurgia. Se houver necessidade, você será orientado a tomar 1 ampola intramuscular de vitamina B 12.

 

 

 

33. Meus cabelos estão caindo!!!

Queda de cabelos acontece com freqüência, mas não é permanente, e eles voltam a crescer; assim como também é comum as unhas tornarem-se fracas e a pele ressecada, por algum tempo.

 

 

 

34. Tenho tontura quando levanto?

Sensação passageira de mal estar, tontura ao se levantar rapidamente, ocorrem ocasionalmente, melhorando após algum tempo.

 

 

 

35. Será que estou perdendo pouco peso?

A perda de peso varia para cada pessoa de maneira diferente. Uns perdem mais no início, outros mantém uma perda menor, mas constante. No entanto esta perda é sempre proporcional ao peso inicial, os mais pesados perdem mais peso. Existe uma média de perda de peso, que ao final de um ano da cirurgia varia de 30 a 40 % do peso inicial (de 8 a 15 % no primeiro mês, de 15 a 20 % no primeiro trimestre, de 25 a 29 % no primeiro semestre), lembre-se que em sendo uma média alguns perdem mais e outros menos. Nos primeiros 15 dias após a introdução dos alimentos sólidos você não irá perder peso devido ao platô (estabilização do peso). Essa situação é normal e após os 15 dias você irá voltar a perder por volta de 4-5Kg por mês.

 

36. E as cirurgias plásticas

Nem todos os operados necessitam ou querem fazer cirurgia plástica, mas sempre se deve aguardar pelo menos um ano da cirurgia da obesidade, para iniciar as plásticas. Naqueles que perderam muito peso, às vezes são necessárias várias cirurgias para remodelar o corpo; e por vezes são necessários “retoques” para melhora uma região já operada.

 

37. Posso engravidar?

Sim, desde que você espere um ano após a realização da cirurgia da obesidade, e faça uma avaliação prévia com um dos clínicos da nossa equipe, assim como o acompanhamento paralelo no pré-natal. Portanto, é necessário evitar a gravidez nos 12 primeiros meses de cirurgia.

 

 

data de atualização 20/05/2015