Vitória / ES - quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Cirurgia Bariátrica

A Obesidade l IMC l Tramento da obesidade l Tipos de Cirurgia Bariátrica l Dieta l Complicações da Cirurgia  l Reuniões l Orientações l Perguntas e Respostas l Dicionário Bariátrico


 

O que é a Cirurgia bariátrica ?

 

A cirurgia bariátrica (baros = peso), também chamada de cirurgia da obesidade, consiste em um conjunto de técnicas cirúrgicas que visam à perda de peso do paciente e resolução de seus problemas médicos adicionais (comorbidades) causados pela obesidade mórbida. A cirurgia bariátrica não é uma cirurgia estética.

Para casos mais graves de obesidade, as mudanças alimentares e a prática de atividades físicas são impossíveis de serem implementadas. Nestas situações, apenas uma intervenção médica mais efetiva, como a cirurgia bariátrica (cirurgia para redução do tamanho do estômago), deve resolver o problema. A maioria desses casos são aqueles em que o índice de massa corporal atinge valores superiores a 40 kg/m2.

Nestes obesos, os inúmeros tratamentos e a oscilação ponderal, além do potencial genético, agravam o quadro clínico. As doenças associadas à obesidade grau III (hipertensão arterial, artropatias, dislipidemias, diabetes, disfunções respiratórias, etc), geraram o termo “obesidade mórbida”.

Estes pacientes submetidos à cirurgia bariátrica devem ser acompanhados, recebendo orientações específicas para elaboração de uma dieta equilibrada. A adesão ao tratamento deverá ser avaliada, uma vez que pacientes instáveis psicologicamente podem recorrer a preparações de alta densidade calórica, de baixa qualidade nutricional, colocando em risco o sucesso da intervenção.

Existem contra-indicações para a realização desta cirurgia como, por exemplo, cirrose hepática, algumas doenças renais e psiquiátricas graves, vícios (droga, alcoolismo) e disfunções hormonais. Todas devem ser avaliadas por profissionais com prática e conhecimento aprofundado neste assunto.

Em todos os casos você deverá, obrigatoriamente, ter pleno conhecimento das características, necessidades, riscos e limitações de cada cirurgia. Participe de nossas reuniões com a equipe multi-profissional e com pacientes já operados para poder ter certeza da sua decisão.

Os obesos que passam por uma cirurgia bariátrica necessitam de orientação nutricional permanente para suplementar a dieta com compostos ricos em proteínas, vitaminas e ferro. Cuidados especiais para evitar casos de desnutrição após a cirurgia também são necessários.

Todos os tipos de tratamento da obesidade, do mais simples ao mais radical, exigem empenho e determinação. Sua motivação é essencial para garantir um bom nível de adesão e o sucesso terapêutico.

 

Indicações para a Cirurgia Bariátrica

 

üPortadores de obesidade mórbida com IMC ≥ 40 kg/m2, sem comorbidades, que não responderam ao tratamento conservador (dietas, psicoterapia, atividades físicas, etc.), acompanhados por pelo menos dois anos.

üPortadores de obesidade mórbida com IMC ≥ 40 kg/m2 com comorbidades que ameaçam à vida.

üPacientes com IMC entre 35 e 39,9 kg/m2 portadores de doenças crônicas desencadeadas ou agravadas pela obesidade.

üExcluir obesidade decorrente de doença endócrina que deve ser tratada clinicamente ou cirurgicamente e não por cirurgia bariátrica. Por exemplo, Síndrome de Cushing devida a hiperplasia supra-renal.

üO limite da faixa etária recomendado está entre 16 a 60 anos.

üO tratamento cirúrgico não deve ser realizado antes da epífise de crescimento estar consolidada nos jovens.

üOs muito idosos, por sua vez, podem ter um aumento das taxas de morbi-mortalidade com o tratamento cirúrgico.

üCapacidade intelectual para compreender todos os aspectos desse projeto bem como dispor de suporte familiar constante.

üCompromisso com o seguimento posterior, que deve ser mantido indefinidamente, pois a falta deste acompanhamento é uma das causas de complicações graves e, às vezes, fatais.

üAusência de distúrbios psicóticos graves, história recente de tentativa de suicídio, alcoolismo e dependência química a outras drogas. Pacientes com antecedentes de alcoolismo e dependência química a outras drogas devem ser submetidos à cuidadosa avaliação psíquica e liberação por psiquiatra. 

 

 

Atualizado em 20/05/2015